“McCartney 3, 2, 1” Trilha Sonora: 66 músicas da série documental
02/10/2021 19:49 em Música

A série documental “McCartney 3, 2, 1”, centrada nos anos de carreira de Paul McCartney já está disponível no streaming Star+, recém-chegado ao Brasil. Ao longo de seis episódios, o autor de “Maybe I’m Amazed” destrincha seus grandes sucessos com o produtor Rick Rubin, conhecido por trabalhar com Johnny Cash, Red Hot Chili Peppers, U2, entre outros.

O minidoc é totalmente em preto e branco, com direção de Zachary Heinzerling e produção da dupla de artistas previamente mencionada, além de Dana Byal, Joanna Forscher, Leila Mattimore, Ryan Suffern, Tessa Treadway, Jeffrey Pollack, Frank Marshall e Scott Rodger. Durante a conversa com Rubin, Sir Paul conta histórias envolvendo Jimi Hendrix, Eric Clapton, Pink Floyd, por exemplo.

Além mostrar músicas criadas durante a carreira solo de Sir Paul e dos Beatles, também ouvimos trabalhos de Édith Piaf, The Beach Boys, Roy Orbinson, Chuck Berry, Ray Charles, como te contaremos a seguir:

“Live and Let Die” é a música-tema do filme homônimo do espião mais conhecido mundialmente: 007. Em português, o longa ganhou o título de “Com 007 Viva e Deixe Morrer”, sendo estrelado por Roger Moore. A faixa foi composta por Paul McCartney e sua esposa, Linda, tornando-se um grande sucesso, com indicação ao Oscar em 1974, mas acabou perdendo para “The Way We Were”, cantada pela atriz Barbra Streisand.

Embora seja constantemente associada a drogas psicodélicas, a história por trás de “Lucy In The Sky With Diamonds” tem um tom infantil e fofo. Isso porque ela foi motivada por um desenho autoral de Julian Lennon, filho de John, baseado na sua amiga Lucy. Em 2009, poucos meses antes de falecer após longa batalha contra o lupus, ela revelou ao jornal The Guardian que não se relacionava com a canção:

“Quando eu era adolescente, cometi o erro de contar a alguns amigos da escola que frequentava sobre o fato de ser a Lucy na faixa, mas eles respondiam: “Não, não é você. Meus pais falaram que é sobre drogas’. E eu não fazia ideia o que era LSD naquela época então, eu só mantive esse segredo para mim”, contou.

“Milord” é uma das canções mais famosas da cantora francesa Édith Piaf, com letra composta por Georges Moustaki e música de autoria de Marguerite Monnot, lançada em 1959. No ano seguinte, foi uma das gravações mais ouvidas na Itália, de acordo com publicação da Billboard, ocupando a sexta posição na tabela. Liza Minelli e a banda de pós-punk Mo-dettes fizeram releituras dessa canção.

Escrita por Ray Davies, “You Really Got Me” foi o terceiro single divulgado pela banda The Kinks. Lançada em 1964, conquistou a primeira colocação nas paradas musicais britânicas, onde permaneceu por duas semanas, sendo mais tarde incluída no disco de estreia deles intitulado “Kinks”. Outra versão globalmente conhecida foi gravada pela banda Van Halen e também entrou no primeiro álbum de estúdio deles.

Nesse minidoc, Paul McCartney fala sobre a influência de “Good Vibrations”, do The Beach Boys, no álbum “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” (1967). O hit foi apresentado ao público em 1966, com créditos a Brian Wilson e Mike Love, dois membros fundadores da banda norte-americana. A revista Rolling Stone a incluiu na lista “500 Melhores Canções de Todos os Tempos”, onde ocupa a sexta posição.

Em 1956, Chuck Berry lançou “You Can’t Catch Me” e 13 anos depois os Beatles lançaram “Come Together”. Devido as similaridades existentes em ambas, às quais Sir Paul admite nos comentários sobre a faixa composta majoritariamente por John Lennon no documentário, a banda foi processada e a disputa acabou sendo resolvida fora do tribunal. Como parte do acordo entre eles, um cover da música de Berry foi incluído no álbum de Lennon, intitulado “Rock ‘n’ Roll” (1975).

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!